05/dez/2012

Barca do Binho é sucesso

Depois de lotar o Complex em Porto Alegre, a Barca do Binho – Ondas Exóticas atracou em Floripa e garantiu casa cheia no último dia 29, no John Bull Pub. Nosso atleta Binho Nunes fez o lançamento do seu novo filme em mais uma capital e foi bonito, com uma galera animada e muito astral.

A Bife Killers, banda do Binho, tocou para a galera presente, abrindo o show da banda norueguesa Bigbang. Olha só!

Quem ainda não viu o filme, assiste ao trailer abaixo. E quem quiser ver inteiro, ele está disponível nas lojas que vendem FreeSurf, junto com a bermuda assinada pelo Binho. Comprando a berma, leva o DVD da Barca pra casa!

 

28/jun/2012

Binho Nunes e as Pegadas Salgadas

Para quem não sabe, a mais nova participação do nosso freesurfer Binho Nunes foi no cinema. Sim, no cinema! Binho é um dos personagens escolhidos a dedo pelo diretor Luciano Burin para integrar o elenco do documentário “Pegadas Salgadas”, que estreou no último dia 22, durante o 16ª Florianópolis Audiovisual Mercosul, principal festival de cinema de Santa Catarina.

O filme apresenta Florianópolis, para quem não a conhece, como o Havaí do Brasil, a cidade que mais fabrica pranchas de surf no mundo e a famosa “Ilha da Magia”, como é conhecida e carinhosamente apelidada. Ele mostra a identidade que o surf marcou na cidade e faz uma evolução desde os primórdios da prática do esporte por lá, nos anos 1970, até hoje. Ainda fala como o surf contribuiu para a popularização da cidade de Florianópolis e todas as suas praias.

Para dar esse panorama sobre um lugar tão especial entre os brasileiros, o diretor escolheu personagens significativos na história do surf catarinense. Entre eles, o Binho foi eleito por ser um profissional diferenciado, que não participa de competições. Também por ser um representante legítimo da comunidade do bairro Rio Tavares, em Floripa, onde mora há muitos anos. O bairro reúne surfistas, skatistas e artistas de diversos lugares do mundo, que resolveram viver em Florianópolis.

Em um ambiente descontraído (Binho recebeu a equipe em sua casa), o atleta deu relatos sobre a vida de um freesurfer profissional e falou sobre o ambiente que o fez assim, Floripa. Vamos dar uma olhada no trailer!

https://vimeo.com/surfecult/pegadastrailer

Curtiu? Vale assistir inteiro. Dá vontade de ir correndo passar um tempo na “Ilha da Magia”.

Pegadas Salgadas Trailer Oficial from Surf & Cult on Vimeo.

Imagem: Reprodução

15/mai/2012

Destinos do surf: Florianópolis

E não tem surfista que não curta dar umas bandas lá para o lado da ilha catarinense. Florianópolis além de linda é pico dos surfistas que não perdem nunca uma praia. E estando em território brasileiro, fica mais fácil para encaixar na viagem do próximo feriado. Tem tanta coisa boa perto da gente! Não precisa recorrer aos mares gringos sempre que quiser buscar altas ondas.

Dentre as diversas praias da Ilha, há uma que se destaca no surf. A Praia do Santinho, no Norte de Floripa, integra o território do Distrito de Ingleses do Rio Vermelho e fica a 40 quilômetros do centro da cidade.

Primitivamente a praia era área de pesca e ainda é muito utilizada para isso. Mas a partir de 1985, quando foi construído o Costão do Santinho Resort, e as pessoas começaram a construir casas nas proximidades, o local virou centro de lazer e veraneio também. Desde então, os surfistas corajosos se aventuram nas ondas do Santinho, dividindo território com os pescadores, onde os banhistas não se atrevem a nadar.

Mesmo assim, é considerara a melhor praia do norte da ilha pelos surfistas que passam por lá. As ondas variam de um a oito pés nos dias grandes e recebe ondulações de sul e de leste, com ondas de esquerda e de direita.

E você já foi pegar onda no Santinho?

 

Fotos: G Surf Imagens

16/fev/2012

Um bom começo de ano para Binho Nunes

O 2012 foi mais que bem vindo para o nosso freesurfer Binho Nunes. No quintal de casa, na Praia da Joaquina em Santa Catarina, ele garantiu ondas incríveis logo no comecinho do ano, entrando de pé direito na temporada.

Os bancos rasos da Joaca ofereceram três swells com tamanho, pressão e direção certas, em menos de 20 dias. Nas palavras do próprio Binho: “acordar e surfar ondas perfeitas como foi durante esses swells não tem preço! Principalmente quando você acorda e não precisa pegar o carro ou enfrentar aquele maldito trânsito, ou ver ondas quebrando vazias enquanto o crowd se mata brigando! Ainda bem que nada disso aconteceu, surfei na paz e vi muitas onda sobrando! Aproveitei para aumentar a kilometragem nos canudos, apesar do saldo de 2 pranchas quebradas e uma trincada, fico feliz por surfar dias memoravéis como este, ainda bem que surfo para viver e vivo para surfar!”

Tá aí o saldo desse swell. Mas faz parte, vão-se as pranchas, ficam os surfistas.
As fotos são de Chris Herzog. Quer conferir mais dessa session? Vai lá no blog do Binho.